18 de nov de 2012

O mundo de Tolkien (David Day)




Título: O mundo de Tolkien: fontes mitológicas de O Senhor dos Anéis
Autor: David Day
Editora Arx Jovem, 184 p.

Gênesis, mitologias grega, nórdica, céltica, germânica, o mito de Atlântida, BeowulfO Paraíso PerdidoMacbeth são somente alguns dos paralelos que podem ser traçados com a grandiosa obra de Tolkien. Este livro examina cada obra literária e acontecimento histórico imaginável que possa ter influenciado os personagens, lugares, línguas, alfabetos, criaturas, a Terra-média e a própria criação do universo onde Tolkien situou Arda. Um livro totalmente destinado aos fãs de Tolkien. È assim que defino este livro. O ponto alto está no fato do livro estar recheado com muitas e belas ilustrações, tanto de artistas não tão conhecidos do trabalho de Tolkien, quanto de personagens que inspiraram o autor. O Condado, Umbar, a batalha no Abismo de Helm, a Batalha dos Cinco Exércitos, Lothlórien, Glaurung, a Távola Redonda, Valhalla e as Valquírias, Minas Tirith,o Oráculo de Delfos, o reino de Atlântida, Orfeu e as melhores (na minha opinião): Éowyn enfrentando Rei-Bruxo de Angmar, Númenor sendo destruída e uma belíssima representação de Beren e Lúthien no covil de Morgoth. Um livro perfeito, para curiosos que queiram saber mais sobre o universo tolkeniano e para fãs mais ardorosos, que queiram se aprofundar no assunto.

Aprendi com Jane Austen (William Deresiewicz)


Título: Aprendi com Jane Austen: como seis romances me ensinaram sobre amor, amizade e as coisas que realmente importam.
Autor: William Deresiewicz
Editora Rocco, 254p.

Aos 26 anos, William Deresiewicz conheceu Jane Austen, por acaso. Ele nunca havia sequer cogitado a idéia de ler qualquer obra que fosse da autora, mas quando aconteceu, ele não parou mais. William estava escrevendo sua especialização, ainda vivendo com o pai, quando travou o primeiro contato com a autora. E o resultado foi, segundo ele mesmo, surpreendente. No inicio, o “relacionamento” era puro desconfiômetro, mas a medida que a leitura foi evoluindo, o autor percebeu que podia aprender muito com Jane Austen. Ao mesmo tempo em que ele narra momentos marcantes de sua vida, como a saída da casa do pai, William vai descrevendo cada obra de Austen, observando que os livros dela ensinavam a lidar com as pessoas ao seu redor e ensinando o que realmente valia a pena aprender. Cada lição de vida que ele encontrava nos romances é pontuada por experiências próprias. Com Emma, ele aprende uma nova forma de encarar o cotidiano. Orgulho e Preconceito, bastante detalhado, fez o autor reavaliar certas concepções, a leitura de A abadia de Northanger ocorre ao mesmo tempo em que ele descreve o relacionamento com seu nada convencional orientador. Mansfield Park o ensina a importância de ser autêntico. Persuasão o ensina a ver onde estão os amigos verdadeiros e Razão e Sensibilidade o ajuda a encontrar o amor verdadeiro.

Esse livro vale muuuito a pena. Como o autor (quando conheceu com Jane Austen), eu estava desconfiada em relação a ele, achando que era mais um relato de fã. Longe disso. Apesar de William ter se tornado fã de Austen, o livro começa falando que ela começou a ler suas obras por pura e simples obrigação. Só esse início já vale a pena, porque me mostrou o quanto nós nos enganamos ao ler algo novo já com “quatro pedras na mão”. A continuidade da leitura dos romances foi ensinando a ele novas percepções de vida, e a mim também. Através de suas observações, eu percebi coisas que antes me passaram despercebidas, apesar de já ter lido os romances várias vezes. Seu encantamento com Jane Austen fica visível na descrição de Mansfield Park, talvez o livro que mais o tenha ensinado (a mim também). Com cada livro, personagem e situação, ele aprende lições de vida importantes. Porque a autora aborda temas que sempre terão relevância para nós, este livro é totalmente indicado aos fãs, e principalmente aos não-fãs, de Jane Austen.

7 de nov de 2012

The Lord of the Films (J.W. Braun)



Título: The Lord of the films: the unofficial guide to Tolkien’s Middle-earth on the big screen
Autor: J.W. Braun
Editora ECW, 236 p.

“You do realize your performance as Gandalf will outlive us all, with each new generation discovering the magic of these films, right?” 

Um guia sobre a adaptação cinematográfica da trilogia O Senhor dos Anéis. O livro começa com uma breve introdução sobre como Peter Jackson se interessou pelos livros e como surgiu a vontade de adaptar a trilogia. O livro também analisa a adaptação, assim como fornece trivias e entrevistas com produtores e atores, resumos dos enredos de cada filme e cada cena é analisada por quatro ângulos diferentes: através do enredo e da ação, os bastidores das filmagens, os erros e reação da audiência. 

Após os livros do making of dos filme e série das obras de Jane Austen, estava na hora de algum guia dos filmes de Tolkien. Apesar de não ser o guia oficial, este livro, contando com várias fotos (em preto e branco), é bastante indicado para aqueles em saber mais sobre como tudo começou, além de mostrar um ponto de vista diferente dos bastidores da produção e das filmagens. Muito recomendado.

IV Encontro Nacional da JASBRA - Inscrições de trabalhos e hospedagem


Já estão abertas as inscrições para apresentação de trabalhos para o IV Encontro Nacional promovido pela JASBRA para comemorar o bicentenário de Orgulho e Preconceito. As inscrições ocorrem até o dia 23 de novembro. Para mais informações, é só clicar aqui. E para se inscrever direto, é só preencher o formulário.
A Adriana também liberou um folheto com informações sobre os hotéis para hospedagem.



É isso aí, gente. As preparações estão a todo vapor. O evento promete!