7 de mar. de 2022

O senhor dos anéis: da ética à fantasia (Gabriele Greggersen)


 

Título: O senhor dos anéis: da ética à fantasia 
Autora: Gabriele Greggersen 
Editora Ultimato, 144p. 

Sinopse: Em O Senhor dos Anéis, nem o bem nem o mal existem como entidades abstratas. Eles são sempre praticados por alguém na vida cotidiana. O Senhor dos Anéis, então, é um “livro de ação”. Na Bíblia, igualmente, a questão do bem e do mal é preferencialmente ilustrada por histórias de vida. 
Não há na narrativa chavões moralizantes, como nos desenhos animados japoneses, que sempre terminam com a “chave de ouro” de uma fórmula pronta para consumo: “é preciso trabalhar em equipe”, “o crime não compensa”, etc. Em O Senhor dos Anéis, a moral vai se revelando por meio da ação das pessoas que vão mostrando na prática a maneira correta e a equivocada de agir. 
Tentar encontrar Deus diretamente na obra é, no mínimo, uma ofensa ao escritor, além de um abuso de sua arte. Por outro lado, nenhum autor, cristão ou não, pode negar sua visão de mundo quando escreve. Assim, erram tanto aqueles que procuram aplicações bíblicas diretas, quanto os que não vêem relação nenhuma entre O Senhor dos Anéis e a Bíblia. 
Não é por acaso, certamente, que Tolkien faz questão de frisar que todos os personagens maus já foram bons em algum momento do passado. Essa clara alusão à concepção do mal na Bíblia dificilmente poderia ser ignorada. 
Outras figuras, como Harry Potter, por exemplo, aparentemente já nasceram “boas”, ainda que incompreendidas e em condições desvantajosas, e o permanecem até o final. O oposto vale para os personagens do mal, como Voldemort, que é a única coisa que Harry diz que teme. [...] Mas isso não é um motivo para a queima dos livros da série na fogueira da inquisição. O único fogo que promovemos aqui é o do discernimento e da crítica, que, em última instância, provém de Deus, mediatizado pelo Espírito. 
Tolkien acreditava, sim, nos fenômenos ocultos, mas cria, acima deles, na intervenção divina na ordem “natural” das coisas. Ele confiava que os eleitos estão sob a proteção de Deus, o que fica muito claro nas inúmeras situações de “salvação” vividas por Frodo. 

Honestamente, eu fiquei sem saber exatamente o que pensar desse livro. Não entendi certas críticas que a autora faz a Harry Potter e a forma de escrita de JK Rowling. Às vezes pareciam críticas boas, outras, ruins. O que me chamou atenção é que a Gabriele foca não muito em uma ética em si, mas sim na tentativa de “aplicar” (por falta de palavra melhor) Deus e os ensinamentos bíblicos nas obras de Tolkien. De qualquer forma, foi uma leitura válida.

14 de fev. de 2022

Querida Jane Austen, uma homenagem


 

Título: Querida Jane Austen, uma homenagem
 Editora Bezz, 221p. 

Sinopse: No Bicentenário de falecimento da grande escritora inglesa JANE AUSTEN, o selo LEQUE ROSA não poderia ficar de fora dessa homenagem. 
À escritora que não teve medo de criticar a sociedade de seu tempo; 
À filha e irmã que sempre esteve ao lado de quem tanto amou; 
À mulher que acreditava no amor e, por isso, não se submeteu a um casamento por conveniência; 
À criadora de personagens masculinos que até hoje povoam o imaginário feminino; 
À pessoa que buscou a felicidade e acabou por trazê-la, com suas histórias, à vida de outras pessoas. 
Um livro de contos, de época e contemporâneos, inspirados nas histórias e personagens dessa talentosa escritora. 
Um livro para deixá-lo metade agonia, metade esperança e enfeitiçá-lo de corpo e alma... 
Uma Homenagem. 

Um livro com várias histórias que homenageiam Jane Austen e sua obra. Como não podia ser diferente, contos baseados em Orgulho e preconceito foram dominantes, mas os meus preferidos foram aqueles baseados em Persuasão (digam o que quiserem, ainda não existe carta apaixonada que supere a de Wentworth para Anne Elliot). Outa coisa boa que o livro traz fica para o fim, com os textos da Mara Sop sobre os costumes da época de Jane e da Vânia Nunes sobre os hábitos alimentares (com direito a dica de receita :D ) Livro muito indicado.

19 de jan. de 2022

Novos lançamentos de Jane Austen e J.R.R. Tolkien

Em primeiro lugar, Feliz 2022! 
Em 2021 eu dei uma parada com o blog por várias razões, mas esse ano voltei, e com anúncios de novos lançamentos. 


O primeiro é o volume I de Juvenília, os escritos de jovem de Jane Austen, traduzido pela Moira Bianchi. O ebook já está disponível para venda na Amazon.
Outro livro que já está em pré-venda é o Tolkien e a grande guerra, de John Garth. Muito esperado pelos fãs, esse livro biográfico centra na vida do autor durante a Primeira Guerra Mundial, quando ele serviu como segundo-tenente da Força Expedicionária Britânica.

11 de nov. de 2020

Middle-Earth: Journeys in myth and legend (Donato Giancola)


Título: Middle-Earth: Journeys in myth and legend 
Autor: Donato Giancola 
Editora Dark horse, 200p. 

Sinopse: Quase 200 pinturas e desenhos incrivelmente realistas dão vida ao maior épico de fantasia de todos os tempos. O realismo clássico se une à narrativa contemporânea enquanto o artista Donato Giancola explora a grandeza mítica e os personagens icônicos da saga O Senhor dos Anéis de JRR Tolkien. 
Donato transformou o trabalho de sua vida em traduzir as palavras de Tolkien em visuais atraentes, com lindas pinturas a óleo e desenhos que lembram Rembrandt e Caravaggio. Suas interpretações da Terra-média abrangem toda a sua carreira, desde encomendas privadas até a edição de 2001 da adaptação de romance gráfico de O Hobbit, tudo coletado neste enorme compêndio - um must-have para colecionadores de Tolkien e fantasia. 

Esse livro é uma verdadeira maravilha! Além das ilustrações, o livro também traz os esboços e eu adoro esse tipo de coisa, ver como é o trabalho inicial dos artistas até o resultado final, com as imagens terminadas e coloridas. 
As ilustrações como as de Smaug parecem desenho, mas as todas as imagens que mostram humanos, como as de Gandalf, passam a impressão de serem mais, aquele tipo de imagem tão detalhada que se encaixa entre a foto e o desenho. Essas são as mais bonitas de todas pela capacidade de Donato em retratar o personagem (as de Gandalf, principalmente, parecem ilustrações relacionadas aos mitos gregos). 
Outra coisa que me chamou atenção e que eu gostei bastante foi a paleta de cores usadas nas imagens das florestas, o colorido e os tons usados de amarelo e verde saltam aos olhos de tal maneira que me deu vontade de imprimir algumas e transformar em quadros. Livro completamente recomendado.

9 de nov. de 2020

Among the Janeites (Deborah Yaffe)


Título: Among the janeites: a journey through the world of Jane Austen fandom 
Autora: Deborah Yaffe 
Editora Mariner Books, 272p. 

Deborah Yaffe oferece uma visão divertida do fandom de Jane Austen. Seu livro se divide em três partes: “Nos passos de Jane Austen”, onde ela fala dos fãs que se vestem como se vivessem na época de Austen e sobre visitar os lugares ligados a autora; “Relendo, reescrevendo”, que aborda como os fãs escrevem sobre Mr. Darcy, dentre outros; e “Na companhia de pessoas bem informadas”, que fala das sociedades Jane Austen, grupos de fãs que se dedicam inteiramente a escritora. 

Outro livro curto que devia ser maior, porque quando se trata de falar dos fãs de Jane Austen, parece que o assunto não tem fim. E é simplesmente uma delícia falar e ler sobre um fandom do qual faço parte e me identificar com algumas coisas que outras pessoas fazem. Além disso, eu tenho muita vontade de um dia conhecer os lugares relacionados a Jane Austen e suas obras. Esse livro é muito bom, porque fala do fandom de uma maneira prática. Muito recomendado.