27 de out de 2014

Lançamentos Jane Austen e J.R.R. Tolkien

O fim de ano está recheado de bons lançamentos. Agora em novembro será lançado O diário secreto de Lizzie Bennet, uma adaptação moderna de Orgulho e Preconceito, baseado na série The Lizzie Bennet diaries (sucesso do youtube em 2013) pela editora Verus, além de uma edição ilustrada de Lady Susan, pela Pedrazul Editora.

 

E hoje, o Tolkien Brasil anunciou o lançamento de Tolkien pelos lendários Irmãos Hildebrandt, de autoria de Gregory Hildebrandt Jr, filho de Greg Hildebrandt. Ele e seu irmão, Tim, ficaram famosos por retratar personagens de Tolkien para calendários entre 1976 e 1978.


O livro já está em pré-venda no site da editora Mythos e da loja Comix. Para quem está curioso sobre esse lançamento, confira o booktrailer liberado pela editora Mythos.

15 de out de 2014

Onde habitam os dragões (James A. Owen)


Título: Onde habitam os dragões
Autor: James A. Owen
Editora Underworld, 306p.

John chega a Londres por um motivo totalmente diferente do que havia planejado: ele é interrogado sobre o assassinato do professor Sigurdson, assim como Charles e Jack. Liberados pela polícia, Charles convida os outros dois para passar a noite no clube literário do qual faz parte. No meio da noite, um estranho visitante aparece na porta do clube e entrega para eles um livro chamado Imaginarium Geographica, um suposto atlas que guia a pessoa a entrar e sair de terras misteriosas. Bert, o tal homem, afirma que o professor fez de John o protetor do mapa e que agora ele corre risco de vida. Eles fogem das criaturas que os perseguem e chegam ao navio Dragão Índigo. A primeira parada que fazem é na ilha de Avalon, onde encontram o Cavaleiro Verde. Navegando novamente, eles descobrem o que poderia ter sido a cidade perdida de Atlântida, enquanto Bert explica a história do Arquipélago, e o que o Rei do Inverno tem feito para se tornar governante de Paralon e sentar no Trono de Prata, cujo primeiro Grão-Rei foi Arthur Pendragon. Seus descendentes governaram por muito tempo, mas o último foi assassinato junto a sua família. O Rei do Inverno está eliminando os possíveis concorrentes ao trono e conquistando as ilhas do Arquipélago, tirando-as do Geographica. A viagem para o conselho de Paralon continua, mas John não tem certeza que está fazendo um bom trabalho como guardião do atlas. Ajudados pelo Capitão Nemo a escapar do Dragão Negro, eles conseguem chegar ao conselho. Mas uma revolta planejada dos trolls faz com que eles fujam e se refugiem na antiga cidade que abrigava a biblioteca e arquivo reais. Lá, eles encontram Samaranth, um dragão, e após novas descobertas, concluem que o Geographica deve ser destruído, e só quem pode fazer isso é seu criador, o Cartógrafo dos Lugares Perdidos. Com a ajuda de Samaranth, John consegue traduzir as línguas para entender os mapas. Na viagem em busca do Cartógrafo, são capturados pelo Rei do Inverno e John acaba sendo forçado a entregar o atlas. Deixados para morrer, todos são salvos e descobrem que o Rei do Inverno que o livro para encontrar o Anel do Poder. Eles vão parar na ilha de Byblos, onde descobrem mais sobre os dragões, a criação dos navios e sobre o verdadeiro e último herdeiro do Trono de Prata. De posse de um novo navio, o Dragão Branco, eles partem em busca do Cartógrafo e de lá para a Ilha na Beira do Mundo, onde o conflito entre todas as raças e o Rei do Inverno irá decidir o destino de todos os mundos.

Faz tempo que eu tenho esse livro. Descobri sobre ele quando buscava histórias baseadas ou tendo como personagens meus autores favoritos (Tolkien e Lewis). De cara, achei a capa interessante, e quando li a sinopse, gostei mais ainda. No entanto, demorei um pouco para ler, em parte graças ao fato de que os outros livros (se não me engano, são 8 no total) ainda não foram publicados no Brasil (e nem ouvi falar sobre previsão para isso, infelizmente). É uma história muito boa. James A. Owen soube utilizar elementos presentes nas obras dos escritores que todos que leram seus livros conhecem muito bem, além de elementos de várias mitologias: o Anel do Poder, a ilha desaparecida de Atlântida, a ilha de Avalon, o Cavaleiro Verde, o Rei Arthur, Mordred,... Elementos incontáveis que eu poderia falar indefinidamente aqui. Eu gostei principalmente da forma como o autor retrata Tolkien, Lewis e Charles (principalmente Lewis), porque na história eles se conhecem através de um acontecimento trágico e só depois percebem que tem conhecimentos literários semelhantes. Uma história que flui a medida que se lê, não perde tempo com longas descrições. Estou querendo muito que saia a continuação aqui. Recomendado.

The truth about Mr. Darcy (Susan Adriani)


Título: The truth about Mr. Darcy
Autora: Susan Adriani
Editora Sourcebooks Landmark, 448p.

Elizabeth está feliz de deixar Netherfield, onde esteve cuidando de Jane, que estava doente. Ela não cansa de se admirar com a quantidade de vezes que Mr. Darcy aparecia de surpresa nos lugares onde ela estava como se estivesse propositadamente se atirando em seu caminho. Ela e irmã, passeando em Meryton, encontram Bingley e Darcy, que fica pasmo ao ver seu velho conhecido Wickham. E o fato de conhecer o verdadeiro caráter do rapaz faz com que seu sangue gele ao pensar que ele possa estar se tornando amigo de Elizabeth. Em um primeiro momento, Elizabeth não consegue entender a animosidade, então ela inventa uma desculpa para ficar sozinha com Darcy. Ele, apesar de suas reservas quanto ao verdadeiro motivo de detestar Wickham cair no conhecimento público, resolve confiar a informação a Elizabeth. A Quando Bingley surpreende o soldado incomodando a moça e relata o ocorrido a Darcy, o cavalheiro finalmente confessa seus sentimentos por ela ao amigo. Um encontro mostra a Darcy que Elizabeth pode estar começando a sentir algo por ele, e assim começa um romance cheio de paixão e desejo.

Não sei muito bem o que pensar desse livro. Apesar de seguir a mesma premissa dos outros que li desse gênero, ele vai mais além, porque mostra um Darcy e uma Elizabeth muito mais sintonizados um com os sentimentos do outro. Gostei porque, apesar de Darcy se mostrar mais aberto em relação ao que sente por ela, Elizabeth ainda demora um pouco para ter certeza. Wickham é desmascarado logo no início, o que só acelerou o processo de confiança entre eles, o que eu achei bem legal. A autora usa e abusa das cenas sexo entre eles, e apesar de me surpreender, o que eu não gostei é que, a partir de certo ponto, o livro se tornou repetitivo, como se Darcy e Lizzie precisassem a toda hora ficar provando seu amor um para o outro, como se eles não confiassem em si próprios. Isso chegou até me irritar um pouco. Mas o enredo é diferente. Vale a pena ler.