24 de mai de 2013

The Fall of Arthur é publicado hoje!

 

O mais novo trabalho de J.R.R. Tolkien, um livro sobre a história e os dias finais do famoso Rei Arthur é lançado hoje. Resta saber quando essa nova publicação chegará por aqui.

ATUALIZADO: A Valinor acaba de noticiar que em dezembro deste ano deve estar saindo a edição brasileira deste livro. Para acompanhar o lançamento da segunda parte do filme O Hobbit, a Martins Fontes também está preparando o lançamento de uma edição revisada de Tree and Leaf, livro que traz o ensaio conhecido On fairy stories, traduzido e publicado pela editora Conrad sob o título Sobre histórias de fadas.

Pelo visto, os fãs terão muitos livros bons para gastar seus ricos dinheirinhos :)

Jane Austen, game theorist, de Michael Suk-Young

 

Esse livro está dando o que falar. Já vi em blogs e sites várias menções a ele, e duas matérias sobre ele aqui no Brasil só fizeram aumentar minha curiosidade. Michael Suk-Young fala sobre como Jane Austen dominava a Teoria dos Jogos, cuja autoria pertence ao matemático Von Neumann e ao economista Oskar Morgenstern. Tal teoria fala sobre como as pessoas atuam quando em grupos. 
Uma das matérias pode ser vista no site da revista Época, intitulada A Teoria dos Jogos nos livros de Jane Austen. A segunda matéria está na coluna Mestre e Gurus da revista impressa.

13 de mai de 2013

Mr. Fitzwilliam Darcy (Abigail Reynolds) – The P&P Bicentenary Challenge



Título: Mr. Fitzwilliam Darcy: the last man in the world
Autora: Abigail Reynolds
Sourcebooks, 256p.

Mr. Darcy pediu Elizabeth Bennet em casamento. Mas, em sua paixão, ele comete um erro que, se não corrigido a tempo, poderia colocar em risco reputação da moça. Assim, acreditando que ela mudou seus sentimentos em relação a ele e está aceitando sua mão em casamento, ele anuncia para seu primo que eles estão noivos após o coronel Fitzwilliam pegá-los em um momento impróprio. Agora Elizabeth tem que se casar com ele, e apesar de não querer realmente, ela é constantemente surpreendida por suas declarações de amor. Mas nada é tão perfeito, porque Mr. Darcy é arrogante, querendo que sua esposa minimize suas conexões com sua própria família. A visita aos recém-casados de Coronel Fitzwlliam muda tudo ... E agora eles têm a chance de explicar tudo para o outro. Mas eles vão usar esta oportunidade para fazer o seu casamento realmente funcionar? 

Um livro muito bom. No começo eu fiquei irritada com a passividade (não característica) de Elizabeth. Na minha cabeça, ela poderia terminar o noivado a qualquer momento, porque ela simplesmente não queria se casar com Darcy. Então eu percebi que naquela época, o que o coronel Fiztwilliam viu, se ela não tivesse aceitado a proposta de casamento, sua reputação estaria arruinada. E Darcy me incomodou mais do que na história original, com sua arrogância e presunção. A história me deixou louca porque eles têm que resolver o mal-entendido, e toda vez que eles tentam, algo acontece e eles não resolvem nada. Mas eu amei a leitura. Recomendo totalmente.

Mr. Darcy proposed to Elizabeth Bennet. But in his passion, he makes a mistake which, if no corrected in time, could put at risc the lady's reputation. So, believing that she changed her feellings towards him and she is accepting his hand in marriage, he announces for his cousin that they are engaged after Colonel Fitzwilliam catch them in a improprious moment. Now Elizabeth has to marry him, and despite not really wanting, she is constantly surprised by his declarations of love. But nothing is so perfect because Mr. Darcy is arrogant, wanting his wife minimize her connections with her own family. A visit to the newlyweds from Colonel Fitzwlliam changes everything... And now they have the chance to explain everything to each other. But they will use this chance to make their marriage truly work?

A really good book. In the begging I get annoyed by the (not characteristic) passivity of Elizabeth. In my head, she could end the engagement at anytime, because she simply doesnt wanted to marry Darcy. Then I realized that in that time, what Colonel Fiztwilliam saw, if she had not accepted the proposal, her reputation would be ruined. And Darcy annoyed me more than in the original history, with his arrogance and presumption. The history makes me crazy because they have to resolve the misunderstanding, and everytime they try to, something happens and they don't resolve nothing. This really made me want to scream in frustration. But I loved reading. I would totally recommend

10 de mai de 2013

Roverandom (J.R.R. Tolkien)


Título: Roverandom
Autor: J.R.R. Tolkien
Editora Marins Fontes, 127p.

Rover é um cãozinho muito abusado que, ao morder a calça de um velho, se mete em uma grande confusão. Pois esse velho era também um mago, e porque Rover não pediu desculpas, o mago, Artaxerxes, o transforma em um cachorro em miniatura de brinquedo. Seus pequenos latidos não são ouvidos por ninguém e ele acaba indo parar na vitrine de uma loja de brinquedos, onde foi comprado por uma senhora que tinha um filho apaixonado por cachorrinhos. Assim, Rover chega em seu novo lar. A noite, ele conseguia voltar a se mexer e planeja uma fuga. Mas nem precisou fazer nada porque, ao ser colocado no bolso da calça do garotinho, ele cai na areia da praia onde o menino e seus irmãos haviam passeado. Sozinho novamente, ele consegue se mexer completamente e conhece Psamatos, feiticeiro-das-areias. Ele encarrega Mew, uma gaivota, de levar o cãozinho pelo caminho da lua, onde ele conhece o Homem-da-lua e seu cachorro, Rover (também). Com um novo amigo, o cãozinho, agora Roverandom, passa por várias aventuras. Mas chega a hora de voltar para a Terra, onde ele tenta encontrar o mago Artaxerxes para destranformá-lo. Roverandom descobre que agora ele casou com a filha do rei do mar, e assim parte em uma nova busca e vive novas aventuras junto com outro cachorro chamado Rover. Até que finalmente o mago concorda em fazê-lo voltar ao normal.

Mais uma história infantil escrita pelo mestre Tolkien. Tenho esse livro há anos, mas somente agora pude dar a devida leitura atenta que o livro merece. Quem conhece o autor e sua vida como escritor, sabe que O Hobbit também foi publicado como livro infantil, e pode, ao ler este, tentar “comparar” os estilos de história infantil que ambos mostram. Falo logo, são diferentes. O Hobbit aponta mais para o lado de ação e aventura fantástica, enquanto que este, mesmo narrando as aventuras do protagonista, prima mais por um caminho mais infantil. A história teve origem, acreditam, com um acontecimento verídico na família de Tolkien (um de seus filhos perdeu na praia enquanto brincava um cachorrinho de brinquedo e nunca mais o encontrou). Aliás, esse acontecimento e a origem da história são muito bem discutidos na Apresentação do livro (o que aliás, não pode faltar em cada livro de Tolkien, notas explicativas com a história por trás da história). Livro muito recomendado, tantos aos fãs quanto aos não fãs do mestre.

Eu fui a melhor amiga de Jane Austen (Cora Harrison)


Título: Eu fui a melhor amiga de Jane Austen
Autora: Cora Harrison
Editora Rocco Jovens Leitores, 317p.

Jenny esta apavorada. Sua amiga Jane está doente e não recebe os cuidados devidos. Uma carta escrita a Sra. Austen pode resolver os problemas, mas Jenny está com medo de sair para levar a carta ao correio, pois já é noite e não cabe bem a uma jovem donzela ser pega andando por Southampton sozinha e desacompanhada. Mesmo assim, ela toma sua decisão e sai. No caminho, onde cada virada de esquina é um sobressalto, ela acaba recebendo ajuda de um jovem militar. Capitão Thomas Williams, é o nome dele. Depois de ouvir sua história, ele entrega a carta e a leva de volta a escola para meninas. Jenny fica impressionada com o porte do rapaz, mas isso não é capaz de tirar a preocupação com a prima de sua cabeça. Quando Jane começa a melhorar, quem cai doente é Jenny. E não demora muito os Austen aparecem para levar as duas. Um bom tempo depois, ela está melhor e se encontra feliz da vida, pois seu irmão e cunhada permitiram que ela ficasse hospedada com a família de sua tia. Assim, Jenny experimenta uma vida em família que desconhecia, participando de suas atividades e diversões. Em um dos bailes, ela acaba reencontrando o capitão Thomas Williams, que a reconhece. Com medo de que ele a denuncie, Jenny não consegue falar nada. Mas o jeito educado do jovem militar logo a tranqüiliza. No entanto, a promessa de se verem de novo cai por terra quando uma carta denunciando o comportamento da jovem naquela noite. Agora, Jenny não quer mais saber dele. Será que o capitão conquistará a confiança da moça novamente?

Esse livro foi uma delicia de ler. Os Austen da história são esses mesmo, a família de Jane Austen. Cora Harrison, na verdade, criou uma história muito boa tendo a família da escritora como personagens principais. Talvez por isso tive a impressão do livro ser quase uma biografia, ainda mais porque foi escrita em forma de diário (um ponto alto do livro, aliás, é esse). Fã de Jane Austen, Cora consegue fazer o leitor sentir que está lendo um livro da própria autora, tal é a linguagem que utiliza. Poucos conseguem escrever readaptações ou sequencias de clássicos utilizando o mesmo tom de narrativa que o autor original, e dentre esses poucos está Cora. Uma leitura muito divertida e recomendada.