28 de dez de 2010

Desafio Literário 2010: uma retrospectiva.


Essa é minha retrospectiva do Desafio Literário 2010. Li livros que não sabia sequer que existiam e principalmente que nunca cogitei ler. Mas não me arrependo. Esse formato eu copiei da Fernanda, do blog Coisas Minhas. A lista acima não mostra a ordem em que eu li os livros, e sim a ordem de preferência deles.

A melhor surpresa: As mentiras que os homens contam. Nunca fui chegada em literatura brasileira e portuguesa, mas esse livro é ótimo. Chorei de tanto rir enquanto lia.

A pior decepção: Não foi uma decepção, só não tinha muito o que esperar dele. O Código da Vinci.

O melhor livro: Emma, As mentiras que os homens contam e Coração de Tinta. Não dá pra escolher porque cada um tem um diferencial. Emma era o único de Jane Austen que ainda faltava ler, As mentiras que os homens contam foi muito engraçado e me aproximou um pouquinho da nossa literatura, e Coração de Tinta faz parte do gênero literário que adoro, fantasia.

O pior livro: Confissões de uma irmã de Cinderela. De todas as versões da história de Cinderela que li e vi, incluindo filmes, essa é a pior.

O livro mais difícil: Ensaio sobre a cegueira, acho que por causa da linguagem e porque, como já falei, não sou muito fã de literatura brasileira e portuguesa. Acho que aquelas leituras obrigatórias de vestibular (principalmente Amor de Perdição, oh meu Deus!) me traumatizaram.

O livro mais cute: Dewey. Livros de animais sempre mexem comigo.

O livro mais envolvente: Fala sério, mãe!. Com uma linguagem tão acessível, me fez rir muito com as trapalhadas da mãe e da filha, mesmo enquanto lembrava que quando as mesmas situações aconteceram comigo e com a minha mãe, não foram nada divertidas.

O livro mais não-fede-nem-cheira: A casa das sete mulheres. Um romance histórico, nada mais. Emociona, mas não passou disso.

O livro mais emocionante: Não “emocionante”, mas envolvente. Audácia, porque nunca tinha lido um romance de banca. Apesar de ter lido com toda a pressa do mundo pra ver se ainda tinha tempo de postar a resenha (me inscrevi no Desafio no fim de janeiro, imaginem a pressa!), gostei e a história prendeu minha atenção devido ao final, que eu queria que acontecesse, mas não imaginava que o caminho para ele seria o que foi.

Então é isso. Adorei participar e 2011 que me aguarde. Novos temas, novos livros, talvez menos tempo... Mas é isso aí. Obrigada, Vivi, por deixar que eu me inscrevesse.

Desafio Literário - Dezembro: Coração de Tinta (Cornelia Funke)



Tema: Com “Coração” no título

Mês: Dezembro

Título: Coração de Tinta

Autor(a): Cornelia Funke

Editora: Companhia das Letras

Nº de páginas: 455

Escolhi este livro porque...
Por causa do tema. Quando eu estava pesquisando os livros para montar a minha lista, fiz tudo com muita pressa, em janeiro, se não me engano, enquanto perguntava pra Vivi se ainda podia me inscrever e postar a resenha de janeiro (perguntem pra Vivi). Não sabia de nenhum outro livro sobre esse tema, já havia escutado falar sobre o filme, já tinha até visto o trailer, apesar de agora lendo, não me lembrar direito. Aí fui pegar sugestões nos blogs participantes, por isso acho que vai ter mais alguma resenha de Coração de Tinta no Desafio.

O livro é sobre...
“Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição. Quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado "Coração de Tinta". Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de Coração de tinta um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente seqüestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.”
Essa é a resenha do livro que aparece nas lojas virtuais. A minha é essa:
Mo é um encadernador e reparador de livros, viciado em leitura. Sua filha Meggie herdou a mesma paixão do pai. Quando ela descobre Dedo Empoeirado (ela não sabia quem ele era) na frente da sua casa a noite, Meggie corre pra avisar o pai do estranho que fica encarando a casa. A partir daí, a história começa. Tudo envolto em mistério, claro, já que Mo não quer que sua filha descubra a história por trás do estranho. Depois ela fica sabendo, mas só quando eles já estão presos. Voltando. Mo é avisado por Dedo Empoeirado que Capricórnio está atrás dele de novo, querendo o livro (Coração de Tinta). Eles fogem, e Meggie continua intrigada. Mo os leva para a casa de Elinor, uma bibliófila totalmente... sei lá o quê. Maluca, engraçada e outras coisas mais. É hilário ela e Meggie interagindo. Mo começa a trabalhar nos livros de Elinor, enquanto ela esconde o livro que ele traz. E Meggie cada vez mais curiosa. Dedo Empoeirado também quer pôr as mãos no livro. Capricórnio fez um acordo com ele: ele entrega ao vilão Mo e o livro e Capricórnio o manda de volta para o lugar que ele quer voltar. No livro, esclarece-se que ambos saíram da história do Coração de Tinta, e o que mais Dedo Empoeirado quer é voltar pra ela, pois não se acostumou ao nosso mundo. E é isso que Dedo Empoeirado faz. Meggie começa a odiá-lo pela traição, mas ela e Elinor seguem-no até a aldeia de Capricórnio, encontram Mo e ele conta toda a verdade para sua filha: ele leu Capricórnio, Basta e Dedo Empoeirado (quando digo “leu”, ele leu a história e eles saíram dela), e também explica o sumiço da mãe de Meggie, Teresa, que foi parar na história com os dois gatos da família em troca da vinda de Capricórnio e dos outros (quando Mo lê, alguma coisa do mundo dele vai para a história do livro que leu e alguma coisa sai dela. É uma troca. No final do livro, eu só faltei pirar com a troca feita). Por isso Mo é chamado de Língua Encantada. Eles conseguem fugir, mas Meggie e o escritor de Coração de Tinta (não é a Cornelia Funke, o livro Coração de Tinta narra um história sobre um livro com o mesmo nome, É como se o livro que li contasse a história do real livro Coração de Tinta e só tivesse levado o mesmo título para fazer alusão a ele, entenderam? Nem eu. Enfim. Mo consegue encontrá-lo e fala sobre tudo que aconteceu) são capturados. Dessa vez, é Meggie quem revela o talento de dar vida aos personagens do livro. Ela é preparada para fazer o que Capricórnio queria que seu pai fizesse: traga do livro a Sombra, o servo de Capricórnio mais cruel de todos. Torcendo ao mesmo tempo para seu pai resgatá-la e para ficar a salvo, Meggie faz o que Capricórnio quer, mas com a ajuda do escritor, modifica a história. O final? Só lendo pra saber. :)
Na metade do livro, pensei se a mãe da Meggie iria aparecer, se Dedo Empoeirado voltaria para seu mundo, qual seria o papel do escritor de Coração de Tinta na história. A primeira e a terceira questões são solucionadas, mas se Dedo Empoeirado volta... Acho que só nos livros seguintes. Aliás, no final, quando tudo parece solucionado, levanta-se mais uma questão (que eu não vou contar qual) e que eu realmente espero que seja respondida logo no Sangue de Tinta. O engraçado é que toda hora o leitor fica esperando por um clímax, sabem, aquele em que ocorre algum tipo de batalha final ou coisa assim, mas apesar do clímax existir, não sei se gostei. O final foi bom, deu margem pra continuação em outros livros, mas ainda assim... Motivos que mostram o porquê do livro ser muito legal:
1- a cada capítulo, existe uma citação de uma obra que mostra o que vai acontecer naquele capítulo. Ou seja, o livro indica muitas outras leituras. Eu vou fazer uma lista e ler, claro.
2- mostra um pouquinho do trabalho de Mo como encadernador. Como futura bibliotecária, eu adoraria trabalhar nessa área, fiz até um minicurso na feira do livro de 2009 aqui em Belém, mas se alguém hoje me perguntar alguma coisa, nem sei se vou saber responder, não lembro de quase nada.
3- quando Mo lê Ali Babá e os Quarenta Ladrões, e o tesouro aparece, é o máximo. Ficou muito legal essa cena no filme, apesar de eu só ter visto o trailer. Acho que é uma das únicas coisas fiéis ao livro, pelo trailer vi que muita coisa mudou. Mas tenho que ver o filme para opinar.
Só não gostei muito da forma como retratam Elinor. Parece muito a imagem ultrapassada do profissional da Biblioteconomia, uma mulher velha, acima do peso e que só quer saber de guardar livros. Elinor não é bibliotecária, mas a meu ver, a imagem que passam dela é aquela (totalmente errada!) que as pessoas têm até hoje da minha profissão. Acho um absurdo.
Não devo negar que voei na maionese quando me imaginei no lugar do Língua Encantada. Adivinha quem eu traria para nosso mundo? Passaram vários personagens na minha cabeça, mas o primeiro foi... Mr. Darcy. Só de imaginar isso... Também pensei em algum personagem d'O Senhor dos Anéis, mas aí já seria muito louco. Vocês conseguem imaginar Aragorn ou Legolas no nosso mundo????? Já Mr. Darcy... ai, ai... Acordando pra realidade....
Agora estou louca para ler os outros dois, Sangue de Tinta e Morte de Tinta.

A nota que dou para o livro:
5 (Ótimo)

15 de dez de 2010

Confissões literárias

O que você está lendo? Coração de Tinta, de Cornelia Funke.

Escritor(a): Não tem como escolher só um dos dois. Jane Austen e J.R.R. Tolkien.

Um livro marcante: Orgulho e Preconceito, de Jane Austen e O Silmarillion, de J.R.R. Tolkien.

Um herói da literatura: Mr. Darcy, de Orgulho e Preconceito.

Uma heroína da literatura: Lizzie Bennet, de Orgulho e Preconceito.

Um personagem de dá vontade de esganar: Bella Swan (saga Crepúsculo).
Defeito literário imperdoável: Erros de português. Simplesmente não dá pra ler o livro.

O melhor começo: Harry Potter e a Pedra Filosofal. Um ótimo começo para uma saga infantil.

O melhor fim: O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei. A Terra-média fica livre do Senhor do Escuro, os hobbits salvam o Condado, Arwen Evenstar se casa com Aragorn Elessar. Apesar da partida dos elfos e de Gandalf para Valinor, um dos acontecimentos mais tristes do livro, o final é muito bonito.

Um título criativo: O Silmarillion. Estou estudando Tolkien e é enlouquecedor a quantidade de informação que essa única palavra contém que mostra ao leitor o enredo principal da história. Tá certo que um título tem essa finalidade, mas Tolkien aprimorou muito mais essa finalidade com os títulos de todos os seus livros.

Uma bela capa: Totalmente dividida entre a pintura de Franz Xavier Winterhalter para Orgulho e Preconceito, Emma e Razão e Sensibilidade (Jane Austen) e a capa de Alan Lee para Os Filhos de Húrin (J.R.R. Tolkien).

Uma decepção literária: Crepúsculo. Não muito toda a saga, mais o último livro. Queria um final totalmente diferente.

Uma surpresa literária: Eragon. Apesar de muita gente discordar, adoro essa série. Adoro o dragão Saphira e lamento não terem feito filmes dos outros livros, porque adoraria ver os dragões Thor e Glader.

Autor (a) que a maioria ama, menos você: Stephenie Meyer. Achava ela legal até o último livro.

Ler é: adquirir conhecimento, dar asas à imaginação.

Recomende um blog sobre livros e leituras: Lost in Chick Lit. Adoro! As meninas fazem resenhas, fornecem sugestões e fazem sorteios.

13 de dez de 2010

Encontro Nacional Jane Austen


A Adriana, do Jane Austen Sociedade do Brasil, anunciou que o encontro de Natal será feito junto as comemorações dos 235 anos de nascimento de Jane Austen. E o melhor de tudo, esse encontro será nacional!!!!! A data do encontro aqui na região Norte ainda está para ser definida, inclusive o local. Mas eu realmente espero que seja em Belém!
O de Belo Horizonte e Porto Alegre aconteceu sábado agora, dia 11. No sábado dia 18, será a vez do Rio de Janeiro e São Paulo. Quem quiser entrar em contato com a Adriana, pode ser por email: adriana@jasbra.com.br.

6 de dez de 2010

Selo de qualidade

Bruna Tavares, do Descobrindojaneausten, me deu meu primeiro selinho. Muito obrigada, menina!


As regras são as seguintes:
1º - Dar este selo a 10 blogs;
2º - Avisar a cada blogueiro;
3º - Falar 10 coisas sobre você.

Eu dou o selo para os blogs:
1-Jane Austen Sociedade do Brasil
2-Jane Austen em Português
3-Descobrindojaneausten
4-Biblioteca Jane Austen
5-Lost in Chick-lit
6-As meninas que lêem livros
7-Quero morar em uma livraria
8-Romances: Rosas e Espinhos
9-Romances in Pink
10-O que elas estão lendo

Sobre mim:
1-Adoro filmes, livros e música
2-Sou louca por Jane Austen
3-Sou apaixonada por Tolkien e sua Terra-média
4-Sou bibliófila
5-Adoraria conhecer a Inglaterra
6-Prefiro calor ao frio
7-Gosto de praia
8-Adoro falar de moda
9-Adoro adaptações de livros para o cinema
10-Sou muito imaginativa.