15 de set de 2014

As memórias perdidas de Jane Austen (Syrie James)




Título: As memórias perdidas de Jane Austen
Autora: Syrie James
Editora Record, 319p.

Em dezembro de 1800, aos 24 anos, Jane Austen recebe a notícia de que ela e sua família estão deixando Steventon, lugar onde viveu a vida inteira, para sempre. A mudança para Bath foi somente o primeiro dos eventos marcantes de sua vida. O segundo aconteceu alguns depois: a morte de seu pai, George Austen, deixando Jane, sua mãe e sua irmã Cassandra a depender da caridade de amigos e familiares, já que o reverendo não havia deixado renda alguma e a casa em Steventon havia ido para o irmão mais velho, James. Em uma conversa com outro de seus irmãos, Henry, Jane é convidada para visitar Lyme, onde ela conhece o refinado Sr. Ashford. Depois de um primeiro encontro um pouco diferente, e percebendo que Henry conhece o amigo de Ashford, Sr. Churchill, logo se estabelece uma amizade. Mais do que isso, Jane sente uma profunda conexão com o recém conhecido. No entanto, a partida repentina deles deixa Jane desagradavelmente surpresa, sem entender nada. Ela se conforma em não ter mais notícias dele, até que um encontro inesperado, tempos depois, a faz se sentir enganada. Enquanto isso, ela trabalha em seus livros, reescrevendo, revisando e descartando tudo só para começar novamente, tirando algumas idéias de sua própria história de vida. Quando ela pensa que poderá ter o seu próprio final feliz, tudo cai por terra.

É uma verdade (acredito, universalmente reconhecida) que, com poucas exceções, a apresentação do herói em uma história de amor nunca deve acontecer no primeiro capítulo, mas, de preferência, ser adiada para o terceiro; que um breve alicerce deve ser inicialmente estabelecido, familiarizando o leitor com as principais pessoas, lugares, circunstâncias e conteúdo emocional da história, de modo a permitir maior valorização dos acontecimentos conforme se desenrolam.

Esse livro é maravilhoso. Eu esperava uma coisa completamente diferente, e tive uma surpresa ótima. Em primeiro lugar, já no Prefácio do Editor, a Dra. Mary I. Jesse oferece uma breve explicação sobre o que o tipo de biografia que vai encontrar nas páginas deste livro. Acontece que um operário, ao fazer reparos no telhado da mansão de Chawton House, descobriu um baú repleto de manuscritos e com uma caixa de veludo contendo um anel de ouro e rubi. Os primeiros especialistas que o analisaram formalmente autenticaram os manuscritos como de autoria de Jane Austen. Existiram discussões sobre o conteúdo dos manuscritos, e especulações sobre os motivos que levaram a autora, aparentemente, a querer esconder um caso de amor que ela viveu. Então, a Dra. Jesse, uma destas especialistas, fez as correções necessárias e Syrie James publicou este livro de memórias, exatamente como Jane o escreveu. A história é completamente fascinante e fornece uma nova luz sobre a vida de uma escritora tão amada quanto Jane Austen é até hoje. Dá para perceber claramente a influência dos acontecimentos reais em suas obras (e confesso, algumas cenas me fizeram surtar completamente). Me peguei desejando muito que ela realmente tivesse tido seu final feliz com o homem que amava, mesmo sabendo que não seria possível porque conheço sua história. É estranho afirmar isso sobre um livro que fala de memórias, mas este é um livro que eu recomendo ler e reler e reler sempre que você quiser conhecer uma história de amor que, mesmo não tendo o final esperado, ainda vai aquecer seu coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário