12 de jan de 2010

As Fontes mitológicas de Tolkien


Sabe-se que as fontes mitológicas no conjunto de obras de Tolkien, referentes à Terra-Média, são variadas e inumeráveis. Existem influências nórdicas, escandinavas, germânicas, gregas, romanas, hindus e egípcias. Pretendo expor aqui algumas das principais influências em seus personagens, criaturas e lugares.

No início de tudo, existe o Criador e seu Mundo

• A Música de Ainur: música que deu origem ao mundo. Seu precedente é a Música das Esferas, um sistema de tom e número que dá ao universo todas as suas estruturas, tanto lógica quanto metafísica.
• Eru/ Ilúvatar: ser onisciente, Deus. Encontra ressonância no deus babilônico da criação Ea e ao Jeová bíblico.
• Sete Valar e Sete Valier: seres responsáveis pela criação da Música de Ainur. Os primeiros encontram precedentes nas sete esferas de cristal da Música das Esferas, cada um governado pelo temperamento de um deus em particular (Diana, Apolo, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno). As Valier referem-se ao dobro de intervalos musicais dentro das esferas de cristal, o que está de acordo com os 14 sistemas de semitons (escala de Pitágoras). Junto a eles, existem também os Maiar, comparáveis aos Aesir e Vanir germânicos.
Manwë é comparado a Zeus e Odin. Sendo irmão e rival de Melkor, têm ressonância em Odin e Loki. Melkor/ Morgoth é associado a Lúcifer/Satã da tradição judaico-cristã. Ulmo é comparado a Posseidom; Namó, a Hades (sua habitação é Mandos, comparado a Valhalla); Aulë, a Hefesto; Tulkas,a Thor e Heracles; Oromë,a Órion. Varda e Feyja, da mitologia germânica, são esposas dos deuses supremos. Vairë tece telas repletas de histórias, como as Nornas germânicas. As irmãs Yavanna e Vána correspondem a Deméter e Perséfone, respectivamente.

O tempo e o lugar

• Avallonë: porto de onde os elfos saiam em direção à Númenor. Era o paraíso na terra comparável a ilha Avalon, dos mitos do Rei Arthur.
• Númenor: reino de homens, poderosos reis do mar que se tornaram orgulhosos em demasia buscando a imortalidade. História semelhante ao mito do reino perdido da Atlântida. As quedas de ambos impérios têm repercussão na tradição de um dilúvio universal, presente em várias culturas, onde uns poucos sobreviventes “escolhidos pelos deuses” se põem ao mar em fuga.
• Terra-Média: encontra ressonância na Midgard nórdica (o segundo nível do universo).
• Condado: baseado nas West Midlands, onde Tolkien cresceu.
• Valfenda: como a “Última Casa Amiga a Leste do Mar”, é um refúgio e um lugar de aprendizado, semelhante a Universidade de Oxford. Seu nome élfico é Imladris (cuja localização faz uma alusão a Fenda do vale de Luz, única passagem que cerca as Terras Imortais) e onde reside mestre Elrond, conselheiro e “oráculo” sobre o futuro da Terra-Média. Por isso, encontra paralelo ao Oráculo de Delfos, outra fenda de luz sagrada.
• Floresta das Trevas e Floresta de Lothlórien: comum na literatura germânica antiga e medieval, as florestas podem ser lugares perigosos ou de paz. Para os celtas, no entanto, as florestas forneciam tudo aquilo necessário à sobrevivência.
• Gondor e Arnor: encontram paralelos no Império Romano Ocidental e Bizantino, respectivamente. Minas Tirith, como guardiã de sabedoria ancestral, é equivalente à Florença; como simples capital de um país outrora poderoso, à Viena na Áustria. Sua Árvore Branca é semelhante a Oliveira, em Atenas.
• Rohan: seus cavaleiros são comparáveis aos godos e aos lombardos na caracterização, e similares aos anglo-saxões. Seu salão de Meduseld é comparável ao salão de Hrothgar, Herot.
• Moria: reino dos anões, cujo amor pelo ouro por tesouros encontram ressonância nos ancestrais dos vikings.

Criaturas e Seres

• Águias: emissárias de Manwë, animais associados ao poder do rei dos deuses e dos reis e imperadores mitológicos e reais, uma vez que os governantes imperiais terrenos reclamavam para si poder divino.
• Balrogs: espíritos de fogo Maiar, associados aos gigantes de fogo de Muspellsheim nórdicos. São a antítese do arcanjo Miguel bíblico. A batalha entre Gandalf (fogo branco) e o balrog de Moria (fogo negro) na ponte de Khaza-dûm assemelha-se ao duelo entre Surt e Freyr na Ponte do Arco-íris (ambas têm final infeliz e acontecem ao soar de trombetas poderosas, a de Gondor e dos Aesir, respectivamente).
• Smaug e Glaurung: o primeiro assemelha-se a Fafnir, o Dragão da Fúria, por ter se apossado de um tesouro que não lhe pertence, enquanto Glaurung assemelha-se ao dragão sem-nome de Beowulf por ter sua morte ter custado muito aos heróis responsáveis.
• Rei-Bruxo de Angmar: assemelhado a Janibus o Necromante, do conto do herói Dietrich Von Berne e da Rainha do gelo de Jeraspunt.
• Telperion: Árvores de Prata e de Ouro, recorrentes à Yggdrasil, árvore do mundo nórdica, e às Árvores da Vida e do Conhecimento hebraicos.

Objetos
• Silmarils: recorrente ao Graal, pois ambas as demandas pelos objetos, considerados sagrados para seus respectivos povos, causaram a ruína daqueles que os buscaram.
• O Um Anel: o objeto mais importante de toda a história da Segunda Era da Terra-Média. Mantinha sob seu jugo outros anéis de poder presentes nesta mitologia, como Narya e Nenya e controlava outros anéis, como os anéis dos Nâzgul, Encontra referência em outros anéis de poder, como o Draupnir de Odin, o anel de Andvari e o Anel da Serpente (mito referente à Carlos Magno).
• Andúril: espada forjada a partir dos restos da quebrada Narsil, espada de Elendil. Encontra paralelo na espada Balmung, de Siegfried, forjada com os restos de Thirthing, de Sigmund.
• Coroa de Gondor e do Reino do Norte: em um único objeto, simbolizava ambos os reinos (a simboliza Gondor e o diadema simboliza o reino do Norte). Encontra paralelo na coroa única que simbolizava os reinos do Alto e Baixo Egitos na antiguidade.

Personagens
• Sauron, Saruman e Gandalf: assemelhados ao deus Odin. Sauron sacrificou todo o seu poder para fazer o Um Anel e se reduziu a um olho sem pálpebra quando de sua perda, enquanto Odin sacrificou um olho para beber da fonte de Mimisbrunnr. Saruman e Odin possuem um poder incomum em suas vozes. Enquanto Gandalf monta o magnífico meara Scadufax e possui o anel Narya, Odin monta o maior dos cavalos dos deuses Sleipnir e porta o anel Draupnir.
• Fëanor: artífice das mais belas gemas jamais produzidas por um elfo. A valorização da figura do artífice é recorrente na mitologia viking.
• Galadriel: rainha dos Noldor, Dama Branca, assemelhada aos espíritos encantados nas florestas da mitologia gaulesa, e à Viviane, Senhora do Lago. Possui os mesmos elementos da Branca de Neve (alguns inversos), como a rainha poderosa que possui em espelho de cristal onde se pode ver aquilo que se deseja ver, coisas do passado, presente e futuro.
• Lúthien e Beren: casal formado por uma elfa imortal e um humano mortal, que passa por duras provações para ter seu final feliz. Tema recorrente na mitologia, a exemplo de Astarte e Tammuz da Babilônia, Ísis e Osíris do Egito e Eurídice e Orfeu da Grécia. Em todos os casos, as imortais precisaram descer ao mundo do subterrâneo para resgatarem seus amados ou algum objeto que ocasionará a vida em conjunto, ou até mesmo para poderem viver com seus amados, mesmo que por um breve período (exceto no caso de Eurídice, que precisou ser resgatada e não pôde viver da vida com Orfeu).
• Eärendil: marinheiro responsável pelo pedido de perdão dos Valar para elfos e homens. Com a única Silmaril restante, ele navega pelos céus como a estrela matutina. Assemelha-se a Vênus, sendo um sinal de amor verdadeiro. Como estrela matutina, associada ao precursor do Messias bíblico, João Batista. Como estrela vespertina, brilhou no céu até o fim da história, quando seus últimos descendentes na Terra-Média, a elfa imortal Arwen Undómiel (a Estrela Vespertina de seu Povo) se une ao humano mortal Aragorn Elessar. Ele possui a característica de ser fruto de uma união entre um ser imortal com outro mortal, e dá origem a uma nova raça com essa mesma característica. Como Enéas, é o progenitor de uma nova raça que fundará um império e que detém o direito de reclamar para si parentesco com os deuses.
• Elros e Elrond/ Isildur e Anárion: irmãos na fundação de grandes nações como Rômulo e Remo na Roma antiga.
• Arwen Undómiel: semelhante à Branca de Neve por sua caracterização. Como a princesa humana, Arwen ficou por um tempo escondida em uma floresta, cercada de proteções ancestrais. E tem como parente e protetora a Rainha da Floresta Encantada.
• Túrin: herói amaldiçoado como Kullervo (herói da Kalevala) e caçador de dragões como Siegfried/Sigurd.
• Aragorn: como Arthur e Sigurd, é filho órfão e herdeiro legal do rei morto em batalha, é privado de sua herança e corre risco de ser morto, é o último de sua dinastia, é criado secretamente sob a proteção de um nobre que é um parente distante. Também se apaixona por uma grande donzela. Como Carlos Magno, foi confiado com um poder de cura.
• Boromir: assemelha-se ao cavaleiro Roland, paladino de Carlos Magno, de força heróica e que resiste em desvantagem pela última vez em batalha. Ao morrer, seu corpo é depositado num barco-túmulo que navega para o Mar. Faz referência aos ritos funerários dos vikings, também presente na partida dos elfos dos Portos Cinzentos para Aman.
• Éowyn: como Brunhild, uma donzela de batalha que desafia um ser superior e paga por isso. Seu amor sem esperanças por Aragorn também se reflete no amor de Brunhild por Siegfried (quando este se encontra enfeitiçado e não se recorda de seu verdadeiro amor).

Estes foram alguns exemplos da influência das várias mitologias nas obras de Tolkien. Claro que há espaço para interpretações mais abrangentes. Utilizando de forma tão abrangente vários aspectos mitológicos, o autor nos lega algo além de O Senhor dos Anéis: a importância de se preservar os aspectos culturais ricos em história e arte.de outros povos menos conhecidos.


REFERÊNCIAS

DAY, David. OO mundo de Tolkien: fontes mitológicas de “O Semhor dos Anéis”. São Paulo: Arxjovem, 2004.
MITOLOGIA na Antiguidade. São Paulo: Escala, 2009. (Quero Saber).
www.ludico.kit.blog.br

2 comentários:

  1. Olá. Tudo bem?
    Achei super interessante esse seu texto. Pois, sou fã da obra de Tolkien e estou escrevendo uma monografia sobre ele. Queria saber se você recomenda eu comprar o livro que você usou como referência: DAY, David. OO mundo de Tolkien: fontes mitológicas de “O Semhor dos Anéis”. São Paulo: Arxjovem, 2004.???
    Adorei seu blog.

    ResponderExcluir
  2. olá Natallie. Vi que você gosta do Tolkien. Me interesso bastante por este autor, tanto que estou escrevendo minha monografia(TCC) baseando-me nele. Pra ser mais preciso, falarei sobre o símbolo do herói na trilogia. Gostaria de trocar ideias. Se você pudesse me responder agradeço imensamente. dennisalex9@hotmail.com

    ResponderExcluir